Por Linhas Tortas

O mundo sob os olhos de uma pessoa comum

Febre: vilã ou heróina?

leave a comment »

Esse post é uma prévia para um outro assunto que ando refletindo sobre ultimamente, que é o uso excessivo de remédios para qualquer sintoma ou desconforto biológico.

A primeira coisa a ser dita sobre a febre é que as pessoas confundem muitos os efeitos de uma doença e as conseqüências da mesma. Pode não parece, mas sim é diferente. Efeitos de uma doença são as pertubações do organismo causadas diretamente pela ação de um agente (que pode ser desde um vírus até um corpo estranho, como comida estragada), as conseqüências são as reações do corpo para acabar com essas pertubações ou as pertubações secundárias que aparecem caso a o efeito inicial se prolonge.

Até agora só falei blá blá blá técnico, então sendo sucinto, basta saber que certos sintomas que o corpo apresenta são a sua defesa reagindo e a febre esta incluida nesse grupo. E é esse o ponto-chave da questão, quando uma pessoa está com febre devemos interpretar como sendo uma boa e uma má notícias.

A má é que o problema não foi resolvido simples e rapidamente (o que não significa que seja algo grave), a boa é que o corpo está reagindo para eliminar de vez o problema. Mas afinal, fisiologicamente, o que é a febre? Quando o corpo está sendo atacado é preciso tomar ações rápidas, assim o hipotálamo libera um hormônio chamado PGE2, esse pode ser chamado de hormônio da febre. É o PGE2 que regula a hipertermia do corpo estimulando a produção de pyrogenos que é o que aumenta a temperatura corporal propriamente. Isso serve para melhorar a produção de interferon (substâncias anti-virais), de células T (que por sua vez produzem anticorpos), aumenta a mobilidade dos necrófilos (a infrantaria das células de defesa) e aumenta o poder de fagocitose das células (ato de englobar o agente agressor e destruí-lo dentro da célula).

Ou seja a febre é sempre coisa boa! Errado, claro que muitas vezes a febre pode atrapalhar e se a temperatura aumentar muito (39° ou mais), as conseqüências podem ser graves. Logo remédios são imporantes para manter a temperatura num nível aceitável, mas sair auto-receitando anti-térmico logo de cara não é bom, a não ser que o médico ache melhor fazê-lo.

Alias tomar anti-térmico de cara não é bom, também, pelo fato de mascarar a doença. A febre não é causa, é conseqüência, a causa é um agente agressor (comumente bactérias ou vírus) e só porque a febre passou graças a um anti-térmico não elimina a doença. É preciso agir contra a causa, então o mais aconselhável é tomar antibiótico nesses casos, embora as vezes seja necessario algo mais.

Por fim, ao meu ver (e também de muitos profissionais da área), a febre não é vilã, é um heroína incompreendida e as vezes exagerada. É natural do corpo senti febre, é a nossa forma de se proteger contra os inimigos “invisíveis”, então da próxima vez que você ou alguém próximo ficar com febre, tome antibióticos, mas anti-térmico só se a coisa sair do controle.

Written by Silvano

30/06/2008 às 8:48 pm

Publicado em Medicina, Sociedade

Tagged with ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: